PROFESSOR MAURÍCIO DA SILVA

 Cartas trocadas com o V.M. Rabolú
 Revalorização da Gnose Samaeliana 
 Livros 
 Vídeos 
 Artigos
 Entrevistas
 Contato 
 Home

O Professor e Escritor Maurício da Silva nasceu na Fazenda Ponta Alegre, no Bairro Coelhos, município de Cabo Verde, MG, em 11/08/50.

Aprendeu a ler e escrever com o seu tio Manuel Ribeiro de Paula, sob a luz de lamparina, aos 15 anos de idade, completou a alfabetização já aos 20 anos, na Escola Regimental do quartel onde servia o Exército, no 2o BC, São Vicente, SP. 

Tomou gosto pelos estudos, terminou o 1o e 2o graus em três anos e ingressou na universidade, graduando-se em Ciências, Matemática, Física e Pedagogia pela UniSanto e UniSanta. É um estudioso e pesquisador na área de ciências Gnósticas, Holísticas, Ergonômicas e Hermenêuticas. 
É Professor de Ciências, Matemática e Física, em escolas públicas e particulares de Santos, SP. É autor de várias obras, publicadas em diversas editoras. 

 É o criador e coordenador do “Movimento Vivavida.Com. Paz” e do “Projeto Cultura da Paz e Não- Violência”. 

É um fiel servidor da humanidade e trabalha constante, contínua e gratuitamente na construção da “Cultura da Paz e Não violência na Terra”. 

É Fundador da AGSAW, Associação Gnoseolística Samael Aun Weor e da TV Websaw, para disseminação da gnose samaeliana. 

Foi Católico Praticante até aos 21 anos, foi mórmon dos 21 anos até aos 35 nos, quando conheceu a gnose em 1985. Foi membro da Segunda Câmara, na Velha Ordem, até 1994 e na Nova Ordem até o ano de 2000. 

Foi Instrutor tanto na Velha como na Nova Ordem. Submeteu-se à Tarefa de Qualificação dada pelo V.M. Rabolú, vide cartas disponibilizadas na página http://agsaw.com.br/cartas.pdf

Atualmente, juntamente com vários outros estudantes de gnose da AGSAW e com o Missionário Apostolo Jorge Vèlez Restrepo vem se empenhando na luta para a REVALORIZAÇÃO DA GNOSE SAMAELIANA. Num esforço conjunto para reapropriação dos atributos expropriados da doutrina gnóstica samaeliana pela ação nefasta dos psudo-gnósticos, traidores dos V.Ms. Samael e Rabolú, em decorrência da inércia dos estudantes remanescentes da Nova Ordem destituída. .